quarta-feira, 25 de abril de 2018

25 do quatro

"Se hoje compreendemos e podemos respeitar as memórias dos inimigos do regime e até uma 'cultura' de oposição que se revê nestas evocações, exigimos em contrapartida o respeito da cultura nacionalista da nossa geração, das nossas lealdades, dos nossos sonhos, dos nossos mitos e lugares sagrados.
 Passo a explicar: como a esquerda verá sempre no 25 de Abril a 'restauração' da democracia ou a instauração do socialismo, nós temos visto nessa data também e sobretudo o fim do Portugal grande que começou em 1415 em Ceuta, que descobriu, conquistou, civilizou, colonizou, cristianizou; e que acabaria envergonhadamente na baía de Luanda com a saída do último Alto Comissário, em Novembro de 1975, deixando um país mergulhado numa guerra civil que ainda dura!"- Jaime Nogueira Pinto, O Fim do Estado Novo e as Origens do 25 de Abril, Algés, Difel, 1999.

Sem comentários:

Enviar um comentário