domingo, 25 de março de 2018

Liberalismo

"O Estado liberal não crê em nada, nem sequer em si próprio. O Estado liberal permite que tudo seja posto em dúvida, mesmo a vantagem da sua existência.
 Para o governante liberal, é lícita a doutrina de que o Estado deve ser substituído. Isto é, posto à frente de um Estado existente, não acredita sequer na bondade, na justiça, na conveniência desse Estado. Como um capitão de um navio que não estivesse certo sobre se seria melhor chegar ao porto ou naufragar. A atitude liberal é no fundo considerar ridículo o próprio destino; por isso é lícito alcandorar-se aos postos de comando sem acreditar sequer em que deve haver postos de comando nem sentir que obriguem a nada, nem mesmo a defendê-los."- José António Primo de Rivera, Antologia, p. 168, Coimbra, Cidadela, 1972.

Sem comentários:

Enviar um comentário