sábado, 2 de junho de 2018

Ah, malvado Trump!

Um encontro com o camarada Kim. Uma taxa de desemprego nos 3.8%, a mais baixa deste século, com mais de 200.000 postos de trabalho criados no último mês.
 Donald Trump não só não lança o mundo na guerra atómica como, ainda por cima, cria emprego. Isto admite-se? chamem o mahatma Obama para salvar o mundo!

6 comentários:

  1. O Trump é demasiado fasssismo para aguentar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. AHAHAHHAHAHAHAHAHAH, essa realmente está boa. Fez-me lembrar esta outra louca que disse alto e bom na Fox News que "Trump é mais perigoso do que Hitler, é um faxista!"

      É só ver a pérola:

      https://historiamaximus.blogspot.com/2017/02/palavra-de-anti-fascista-profissional.html

      Eliminar
  2. Nunca escondi, nem vou esconder o facto de eu ter apoiado abertamente Donald Trump e fi-lo, única e exclusivamente porque Trump foi o primeiro candidato presidencial desde Andrew Jackson, que teve a coragem de literalmente "espetar o dedo na ferida" durante a sua campanha e denunciar o "sistema" e as elites que dominam o mesmo.

    Ainda hoje, quem não tem memória curta poderá recordar certamente como Trump foi atacado e difamado de forma visceral por todo o Establishment como nunca nenhum candidato à presidência dos Estados Unidos o havia sido antes. Desde a Igreja Católica à extrema-esquerda, passando pelas forças políticas ligadas à maçonaria a aos meios liberais, não houve praticamente nenhuma figura de destaque que não condenasse Trump e desse apoio àquela criatura falsa e sonsa chamada Hillary Clinton.

    Por momentos, ainda que algo breves, houve a esperança genuína de que Trump iria conseguir quebrar ou pelo menos ferir de morte a estrutura de controlo sionista que há demasiado tempo domina o povo estado-unidense. Durante algum tempo pareceu até que o senhor Trump poderia vir mesmo a ser um novo Andrew Jackson e que à semelhança deste último, também ele iria conseguir enfrentar e derrotar com sucesso a máfia judaica que controla a Reserva Federal (Fed), passo este que é absolutamente essencial não só para se poder quebrar a "coluna dorsal" da estrutura de controlo sionista, mas também, para provocar em última análise o desmoronamento total da Zio Matrix.

    Infelizmente, porém, não foi preciso esperar-se muito tempo até Trump cair por completo nas malhas da judiaria internacional. Acredito genuinamente que tal ocorreu por via de muita chantagem e ameaça da parte das forças sinistras do Deep State para com Donald Trump. Pode também dar-se o caso de Trump ter sido uma farsa desde o início. No entanto, não excluindo nunca esta última hipótese, eu pessoalmente creio mesmo que Trump realmente quis e tentou fazer frente ao "sistema" numa fase inicial, porém, acabou facilmente neutralizado pelo mesmo. Nem Trump, nem a esmagadora maioria dos seus apoiantes, tinham seriamente qualquer noção da verdadeira capacidade de resistência e contra-ataque da estrutura de controlo sionista. É um facto que o "sistema" é brutalmente forte e está totalmente "blindado" contra tentativas de mudança como a que Trump ingenuamente ousou tentar.

    (continua)

    ResponderEliminar
  3. (continuação do comentário anterior)

    O Deep State e a máfia sionista que chafurda em Washington ameaçaram que iriam destruir por completo a vida de Trump. Ameaçaram que não só o derrubariam por via de um impeachment, como ainda lhe destruiriam todos os seus negócios e trariam a ruína total à sua família. Não bastando isto, ainda lançaram contra o mesmo inúmeras ameaças de morte e fabricaram toda a espécie de falsidades e poucas-vergonhas sobre o mesmo. Por isto tudo é que eu arrisco dizer que o Presidente Trump é possivelmente a seguir a Adolf Hitler, o homem mais atacado e difamado pelos media nos últimos cem anos. E porquê? Porquê todo este ódio fanático da lügenpresse contra a figura de Trump? Pois bem, o ódio deve-se simplesmente ao facto de Trump ter tido a coragem de "chamar os bois pelos nomes" e acima de tudo (aqui é que "a porca torce o rabo"...), ter ousado afirmar que pretendia terminar com as políticas de imigração em massa e de "fronteiras abertas" que, como está mais do que provado e demonstrado, são uma receita para o desastre e a guerra civil no Ocidente a médio/longo prazo.

    De forma a tentar aliviar os ataques sem fim contra si e em última análise um impeachment humilhante, Trump começou a rodear-se da pior espécie de gente que se pode imaginar. Pouco a pouco, os neocons regressaram à Casa Branca e com eles a mais agressiva e perigosa variante do Sionismo. Trump está neste momento literalmente "preso entre a espada e a parede" e não possui qualquer espaço de manobra. Se ele tentar novamente fazer frente ao "sistema", vai sem dúvida ser destruído pelo mesmo. Por outro lado, se ele continuar a obedecer aos "conselhos" dos supremacistas judeus que o cercam, a sua presidência ficará reduzida à infâmia. De uma forma ou de outra, eu acredito que mais tarde, ou mais cedo, o Deep State (que nunca esquece ou perdoa...) vai tentar forçar um impeachment de Trump, independentemente do que ele faça para tentar apaziguar a judiaria internacional.

    O apaziguamento das elites judaicas é uma velha estratégia falhada pelo simples motivo de que as pessoas com que estamos aqui a lidar, não se contentam com nada menos do que a mais total e absoluta subserviência de nós em relação a eles. Marine Le Pen em França também tentou fazer uso desta estratégia e o que ganhou foi uma guerra movida pela banca em relação à Frente Nacional, com a clara intenção de asfixiar financeiramente este partido e estancar assim o ressurgimento nacionalista em França.

    O ano de 2018 começa assim da pior forma que se podia imaginar. O "nosso" Presidente, o homem que eu apoiei abertamente e que havia prometido "drenar o pântano" em Washington, acabou ele próprio afogado nesse mesmo pântano de corrupção, traição e podridão moral sem limites.

    Pessoalmente, não acredito que haja já qualquer possibilidade de se poder salvar a presidência de Trump. O fiasco monumental em que se transformou o "Trumpismo", derrotou de vez a minha esperança de alguma ver um Presidente americano a conseguir libertar o meu país-irmão das garras da tirania israelita. O Império Anglo-Sionista é neste momento um monstro que está fora de controlo e a única esperança que resta é que a China e a Rússia se saibam manter unidas e em acção coordenada, de forma a que se possa conter este mesmo monstro antes que seja tarde demais.

    Mais aqui:

    https://historiamaximus.blogspot.com/2018/01/um-ano-depois-da-inauguracao-de-trump.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vamos ver o que nos reserva o futuro. A mafia não cederia sem luta. A mim o Trump pareceu-me genuíno. Vamos ver se ele conseguirá salvar alguma coisa que mereça a pena, se cai nas mãos do sistema de forma absoluta. Mas que ainda continua a ser odiado e difamado isso continua. Basta ver as aldrabices que se levantaram em relação à sua afirmação sobre as maras salvadorenhas.

      Eliminar
    2. Trump acabou. A máfia judaica do cartel globalista, assim que Trump tomou o poder, deu logo início a uma "revolução colorida" nos Estados Unidos, de forma a anular a ameaça Trump:

      http://historiamaximus.blogspot.com/2017/01/a-judiaria-internacional-esta-tentar.html

      Seguiu-se a rápida neutralização de Steve Bannon, que foi em tempos uma espécie de mentor ideológico de Trump:

      http://historiamaximus.blogspot.com/2017/04/ja-nao-e-possivel-duvidar-mais-trump-e.html

      Trump ainda tentou na fase inicial da sua presidência, levar a cabo uma guerra total contra os media, mas falhou porque o Deep State é simplesmente demasiado poderoso:

      http://historiamaximus.blogspot.com/2017/02/esta-declarada-guerra-total-aos-media.html

      Durante a campanha, os supremacistas judeus bem o temeram e eu ainda hoje estou convencido de que a elite globalista, ou pelo menos uma parte da mesma, chegou mesmo a ter genuinamente pavor de Trump por momentos:

      http://historiamaximus.blogspot.com/2016/10/donald-trump-aparentemente-o-maior.html

      Mas o Deep State fez o cerco e destruiu a sua presidência:

      http://historiamaximus.blogspot.com/2017/04/sera-que-trump-quer-mesmo-trocar-sua.html

      Chegaram até a insinuar que o matariam:

      http://historiamaximus.blogspot.com/2017/02/os-mass-media-americanos-ja-falam.html

      Trump só poderia derrotar o Deep State se ele derrotasse o Supremacismo Judaico que controla esse mesmo Deep State e os Estados Unidos:

      http://historiamaximus.blogspot.com/2017/01/trump-precisa-urgentemente-de-resolver.html

      Por tudo isto e muito mais é que eu já nada espero de Trump. Para mim a sua presidência morreu no dia em que ele atacou pela primeira vez a Síria:

      http://historiamaximus.blogspot.com/2017/04/o-fim-da-aventura-trump-para-alt-right.html

      Eliminar