sábado, 20 de janeiro de 2018

Livro do dia: O Lobo e a Hiena

Durante décadas (e ainda hoje), a tese oficial defendeu que Hitler atacou a URSS sem qualquer provocação e que Estaline foi apanhado desprevenido. O presente volume, na linha de Viktor Suvorov, defende que não foi assim. Tratou-se de um ataque preventivo, dada a avançada preparação por parte da URSS para um ataque contra a Alemanha. Superioridade numérica, superioridade em material (quantitativa e qualitativamente), maior capacidade de mobilização a diversos níveis.
 Estaline alimentou a máquina alemã, dentro do possível, para que o Ocidente capitalista de desgastasse e, uma vez enfraquecido, fosse presa fácil para o avanço vermelho.
 Hitler terá, possivelmente, salvo o Ocidente de cair nas mãos da comunistagem? parecem restar poucas dúvidas sobre isso. Cada um que retire as suas conclusões. Não recomendável a vermelhos. Edição de 2017, da responsabilidade da Aletheia.

O lobo e a hiena | O plano para a conquista da Europa

5 comentários:

  1. «O presente volume, na linha de Viktor Suvorov, defende que não foi assim. Tratou-se de um ataque preventivo, dada a avançada preparação por parte da URSS para um ataque contra a Alemanha. Superioridade numérica, superioridade em material (quantitativa e qualitativamente), maior capacidade de mobilização a diversos níveis.»

    Essa tese não tem ponta por onde se lhe pegue. A URSS de Estaline nas vésperas da Segunda Guerra Mundial era uma potência muito inferior à Alemanha em termos militares e o rápido avanço do exército alemão no início da Operação Barbarrosa prova isto mesmo. As unidades militares soviéticas pura e simplesmente colapsavam umas atrás das outras perante a ofensiva nacional-socialista e se não fosse o programa de lend-lease, é bem possível que a URSS tivesse mesmo acabado por ser anexada pelos alemães.

    «Hitler terá, possivelmente, salvo o Ocidente de cair nas mãos da comunistagem? parecem restar poucas dúvidas sobre isso. Cada um que retire as suas conclusões.»

    O Ocidente salvou-se da comunistagem para ser tomado pela merda demo-liberal. Muito honestamente, entre uns e outros que venha o Diabo e escolha...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A tese até tem ponta por onde se lhe pegue e o material apresentado sustenta-a bem. A Alemanha nunca teria conquistado a URSS agindo como agiu. A única possibilidade teria sido a utilização das diferentes nacionalidades e mesmo a oposição russa. É sabido que os alemães foram bem recebidos na Ucrânia e em outros territórios do império, mas depressa deram cabo da simpatia gerada.
      Entre comunistagem e demo-liberais não há grandes diferenças, efectivamente, porque são filhos da mesma mãe. É a versão boa e má do polícia.

      Eliminar
    2. «A Alemanha nunca teria conquistado a URSS agindo como agiu. A única possibilidade teria sido a utilização das diferentes nacionalidades e mesmo a oposição russa. É sabido que os alemães foram bem recebidos na Ucrânia e em outros territórios do império, mas depressa deram cabo da simpatia gerada.»

      Eu não contesto isso. O que eu contesto é a ideia de que o ataque nacional-socialista contra a URSS tenha sido um "ataque preventivo". Não acredito em tal, pois os soviéticos em 1941 estavam uns furos abaixo dos alemães no que diz respeito a capacidades militares e Estaline sabia disso mesmo.

      Eliminar
    3. Também tinha essa ideia. O autor do livro refere que a capacidade militar dos russos era superior, especialmente em tanques. A ideia dele até me parece credível, até porque aquela ideia do exército alemão como rolo compressor dava jeito a vencedores e a vencidos. Mas nós olhamos para imagens da ofensiva na França e na URSS e vemos que os alemães recorriam ainda, imenso, a auxiliares equídeos e por aí fora. Muitos dos blindados são ligeiros, a conquista de França colocou-lhes nas mãos material que muito jeito deu, etc. Portanto, a superioridade tecnológica alemã era um facto em certos pontos, como os canhões antitanque, mas em termos de quantidade a produção não acompanhava as necessidades. Já para não falar no facto dos aliados italianos, romenos e outros estarem tecnologicamente muito aquém do que seria desejável.

      Eliminar
  2. Não sei porque a comunistagem não possa ver isto.

    O autor parece provar que Estaline se preparava para atacar a alemanha é certo.

    Mas o nazismo tinha estabelecido como seu principal objectivo, muito antes de chegar ao poder, a conquista de espaço vital, á custa do espaço vital alheio e designando especificamente a Rússia.

    Logo qualquer ataque russo contra a alemanha estava justificado como preventivo.

    ResponderEliminar