quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Jesus também foi migrante

O desonestidade intelectual do papa chico ficará para a História.
Um dos aspectos onde a podemos ver é no discurso relativo aos imigrantes, sobretudo islâmicos, que demandam a Europa.
Frequentemente, o papa chico compara-os a Jesus Cristo e à Sagrada Família, dizendo que também os seus elementos foram "migrantes". Ora, esta posição não é séria. Relembremos porquê:
 Não consta que José, chegado ao Egipto, tenha andado a exigir que os egípcios alterassem os seus hábitos alimentares.
Não consta que José se tenha manifestado ofendido com as vestimentas exibidas pelos egípcios.
Não consta que José tenha tentado impôr a sua religião aos egípcios.
Não consta que Maria tenha exigido espaços e horas próprias para realizar determinadas actividades.
Não consta que as autoridades do Egipto tenham alterado leis e exigido mudanças de comportamento para se ajustarem aos recém-chegados.
Não consta que José e Maria tenham exigido determinadas condições de alojamento; ou determinada alimentação; ou determinados bens assim que se encontraram em terra egípcia. Etc.

 Finalmente, mas não menos importante, não consta que José e Maria tenham atravessado o Mediterrâneo (colocando Jesus em risco) e metade da Europa para chegarem ao destino que mais lhes agradava e no qual contavam vir a receber maiores benefícios.
 José e Maria fizeram o que fazem os verdadeiros refugiados: refugiaram-se no território mais próximo que lhes oferecesse condições de segurança. No caso, o Egipto. Não precisaram de "migrar" até à Lusitânia ou à Escandinávia.

Ah, e não consta que José tivesse esfaqueado alguém de entre aqueles que o acolheram.

https://www.jihadwatch.org/2018/01/ireland-muslim-migrant-stabs-three-killing-one-attacks-cops-with-iron-bar-cops-search-for-motive

Sem comentários:

Enviar um comentário