sexta-feira, 13 de outubro de 2017

O país do general reformado

"Somos o país do general reformado. À testa de serviços em que se há mister de braços válidos, de cabeças claras, e de probidades austeras, não raro é ver paralíticos a dificultarem o expediente, idiotas a exercer no pessoal pressões intoleráveis, e alquiladores que por desculpar as próprias rapinâncias, abrem balcão às gatunagens dos seus subordinados. A contagem do mérito dum homem, pelos anos de pascigo às manjedouras do Estado, leva aos cargos opíparos uma fraudulagem de gente, que como os burros só tem de venerável o orelhame, e uma ou outra vez, a assiduidade."- Fialho de Almeida, Os Gatos, Lisboa, Ulisseia, 1986.

Sem comentários:

Enviar um comentário