quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Arte

Parece que um indivíduo tentou destruir um quadro do sr. Hitler, exposto em Itália. Entretanto, o curador da exposição referiu-se à obra como sendo "uma porcaria completa" feita por um "homem desesperado". Curador multifacetado, este, que domina a arte e a psiquiatria. Mas não é isso que me interessa. Olho para o quadro e, se não vejo nenhuma obra do outro mundo, também não encontro uma tamanha porcaria como afirma o especialista. Calculo até que se o quadro fosse apresentado a alguns eruditos, sem que lhes fosse dito o nome do autor, eles começasse a perorar sobre a tela. "Um quadro profundo que demonstra a pluralidade de quem o pintou, uma tensão patente nos rostos dos dois seres que se encontram e persistem num afastamento que denota uma radical desconfiança ontológica, mas ao mesmo tempo atravessada pela subjectividade caracterizadora do humano. Há ali uma interpelação à sexualidade na medida em que a multiplicação da imagem da porta funciona como a metáfora da abertura sexual que a sociedade castradora reprime." Enfim, qualquer merda assim. Mas como foi pintado pelo sr. Hitler a coisa reduz-se a um "porcaria" e está o assunto resolvido. Mais que isso pode perturbar a ordem do mundo.

https://www.dn.pt/mundo/interior/quadro-de-hitler-atacado-com-chave-de-parafusos-em-italia-8822754.html

2 comentários:

  1. Ahahahah! Brilhante, caro João! Como se já não bastasse a "arte" moderna ser uma valente cagada, os "especialistas" ainda se arrogam o direito de decidir, no meio de tanta subjectvidade e gatafunhada, o que é e o que deixa de ser arte em função de quem a criou!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É, eles é que sabem. Tudo o que esteja fora do âmbito dos mestres não é válido. Só eles determinam o que é de valor.

      Eliminar