sábado, 6 de outubro de 2018

Relembrando o óbvio

"Com Estados e países a união de todos depende da independência de cada um (...). Uma predominância positiva decisiva de um sobre outro levaria à ruína dos outros. Uma fusão de todos destruiria a essência de cada um. É do desenvolvimento em separado e independenteque vai emergir a verdadeira harmonia."- Leopold von Ranke, 1833, cit. in Niall Ferguson, A Praça e a Torre, p.133, Lisboa, Temas e Debates, 2018.

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

O que faz o marxismo

"As crianças sem pai têm quatro vezes mais probabilidades de ser pobres. Isso significa que as mães também são pobres. As crianças sem pai correm um risco muito maior de abuso de drogas e álcool. As crianças que vivem com pais biológicos casados são menos ansiosas, deprimidas e delinquentes, do que as crianças que vivem com um, ou mais, pais não biológicos. As crianças em famílias monoparentais também têm duas vezes mais probabilidade de cometer suicídio."- Jordan Peterson, 12 Regras Para a Vida, p. 379, Alfragide, Lua de Papel, 2018.
O marxismo cultural não descansará enquanto estes números não forem piores.

Arte, dizem eles

"Robert Mapplethorpe, fotógrafo clássico, fez retratos maravilhosos de gente e de flores. Também conseguiu o inimaginável; da imagem pornográfica fez arte. Isso transtorna visões do mundo e da arte. No meio provinciano português, tinha de dar problema".- Eduardo Cintra Torres, CM.
O doutor Torres está equivocado. Em primeiro, ele e outros é que demonstram provincianisno. O bom e velho provincianismo, tão arreigado nas "elites" nacionais e que as leva a incensar o que vem de fora e a ficar deslumbradas quando vão a Nova Iorque ou Londres, substitutos da Paris novecentista e de início do século XX.
Em segundo, o invertido Mapplethorpe não faz da imagem pornográfica arte. É extremamente difícil fazer arte a partir de tal matéria. O invertido não o faz, tal como Sade não o fez, conseguindo apenas literatura estéril, repetitiva e doentia. Um arremedo de filosofia. Arte a partir da pornografia talvez a tenha feito Apollinaire, nas suas Onze Mil Vergas, e por uma razão muito simples: porque não se quis levar a sério e construiu apenas uma paródia, um cenário de brincadeira inconsequente. Quem trabalha com merda de forma séria, não vendo que a merda é merda fica apenas sujo, nada mais.
Quanto ao facto da "arte" de Mappletrorpe transtornar visões do mundo, errado. Apenas revela o facto de ali haver alguém profundamente transtornado, ele. O resto não é transtorno do mundo, mas apenas revelação de quão baixo tem vindo a descer o conceito de arte na mente de alguns que se julgam capacitados para o entenderem e definirem.

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

puristas

-O PNR organizou um almoço de reentrada política.
-Isto não vai lá com almoços.
-E vai organizar uma palestra sobre a ideologia de género.
-Isto não vai lá com palestras.
-E dia 20 há uma conferência com um orador catalão.
-Isto é incrível. Dizem-se nacionalistas e chamam um catalão para falar. Não há nacionalistas em Portugal?
-Depois há um protesto contra a islamização.
-Isto não vai lá com protestos.
-Mas há que estar no terreno, criar visibilidade para as eleições.
-Isto não vai lá com eleições.
-Então o que é que propões?
-Ah, eu vou ali e venho já. Depois falamos. Pareceu-me que vi ali o agente Shlomo. É da mossad e anda a perseguir-me. Mas eu tenho uma estratégia muito clara para tomarmos o poder, depois falamos.

politicamente correcto

Estes canalhas têm de ser travados, dê por onde der. Agora a associação de estudantes da universidade de Manchester decidiu banir os aplausos dos eventos nas suas instalações:
"A partir de agora os aplausos serão silenciosos, adoptando os gestos da linguagem dos surdos-mudos. Bater palmas, diz a associação, pode ser agressivo ou marginalizador para estudantes autistas, surdos ou com problemas sensoriais, e a universidade pretende-se inclusiva; além disso, os aplausos podem desencorajar a participação de pessoas em 'eventos democráticos' e ferir a sensibilidade dos que não são aplaudidos ou dos que, sendo aplaudidos, são festejados com aplausos mais ténues." (Francisco José Viegas, CM de hoje).
Mais uma vez: estes canalhas só vão até onde os deixamos ir, a maioria adormecida. E já os deixámos ir demasiado longe.

domingo, 30 de setembro de 2018

Reentrada política do PNR

Estive ontem no almoço do PNR e gostei. De rever caras que já não via há algum tempo. De conhecer outras. De ouvir os discursos. De constatar a convergência entre diferentes vontades em redor de um ideal maior que é Portugal. Parabéns ao PNR, ao Escudo Identitário, à Portugueses Primeiro, a todos os presentes (e aos ausentes que não puderam estar), e que esta reentrada assinale o arranque de uma nova etapa que culminará, em 2019, com um resultado eleitoral que demonstre que nós, em Portugal, seguimos desta vez as boas influências que vêm da Europa.

Não nos iludamos

Pedro Passos Coelho recusou uma condecoração. Fez bem. Mas convém não esquecer que Passos Coelho é um mundialista, um globalista como muitos outros. Nâo há aqui polícia bons e maus. Passos Coelho pertence ao sistema, tal como Santana Lopes e outros que, por vezes, parecem próximos de nós por uma ou outra atitude ocasional. Só há um partido anti-sistema em Portugal, o PNR. Quanto ao resto, votar PSD, CDS, BE, PCP, PS, PAN, é igual. É continuar a votar no sistema e na sua manutenção. Não tenhamos ilusões acerca disso.

Parabéns ao Escudo Identitário

Pelo seu primeiro aniversário. E que muitos outros se sigam, com o mesmo empenho e força de vontade.

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

Fassismo

Esta senhora é muito sábia. Trabalhou com grandes estadistas. Agora alerta-nos para o maior perigo que ameaça a humanidade, o fascismo.
Como sabemos, o fascismo está de regresso. Em Portugal, por exemplo, é frequente vermos desfiles de milhares de camisas azuis. A Itália, dizem alguns está perdida. A Hungria é um quarto ráiche autêntico.
Felizmente há pessoas corajosas que nos alertam para o problema. Com risco da saúde, da posição social, da própria vida, a sra. Albright toma posição. Contra a vaga fascista eis que se ergue uma voz! a voz de uma justa entre as nações!

Wook.pt - Fascismo - Um Alerta

Oposição controlada

Saiu há dois dias a tradução portuguesa do livro do Jordan Peterson. Comprei-o, vamos ver se confirma os créditos. Para alguns é "oposição controlada", já sei. Mas eu prefiro a "oposição controlada" de Le Pen, Salvini, Wilders e outros que tais à pureza absoluta e inicial de outros tantos que se ficam por aí, pela pureza.
Não estamos em 1933.

Hang white people

Em França anda um preto rapper a "cantar" isto. Não se conhece reacção do sos racismo lá do sítio, claro. Sabemos o que valem e o que não valem. Sabemos o que os move.

domingo, 23 de setembro de 2018

voto útil

Só há duas vias para a mudança: a da força e a eleitoral. A primeira está excluída. Neste momento, quem tem a força está com o sistema. Resta, pois, a segunda. Para o ano temos eleições, o tempo é cada vez mais curto. Já não é só em Lisboa ou no Porto que assistimos à invasão. Em qualquer terra mais pequena, saímos à rua e são cada vez em maior número os "refugiados", imigrantes altamente qualificados e outros com os quais nos deparamos. Ao ponto de nos começarmos a aproximar, perigosamente, do ponto de não-retorno.
Posto isto, só há uma solução a nível eleitoral. Chama-se PNR. Porque votar CDS, ter a ilusão de que o CDS é alguma coisa fora do sistema é pura ingenuidade. O único voto que vale a pena, da parte de quem ainda se preocupa com este país e o rumo que tem vindo a tomar, é no PNR. O resto é conversa.

slogans

"Dispo-me porque sou livre", diz a esposa do futebolista Garay, citada hoje na primeira página do CM. Perante isto, palavras para quê? se fosse hoje, o slogan jacobino seria "nudismo, igualdade, fraternidade", ou coisa parecida.

Pós-modernismo

"A relação que devemos ter connosco próprios não é uma relação de identificação; deve ser uma relação de diferenciação, de criação, de inovação. É muito aborrecido sermos sempre os mesmos."- Michel Foucault, Dits et Écrits, vol.IV, p.1554.
Devia ser por isso que ia para as saunas de S.Francisco levar no pacote.
Mas este continua a ser o mantra dos nossos dias. Criar e inovar a todo o transe, mesmo que não saibam minimamente o que é isso e se limitem à degradação e à destruição.
E não, não é uma questão de pontos de vista.

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Egas e Becas

São gueis. Soubemo-lo agora. É isso. Tarzan e Cheeta também têm uma relação íntima? não sabemos, mas senão tiverem é capaz de ser pelo factode isso provocar uma justa revolta nos defensores dos animais. Mas lá chegaremos.
 O Tio Patinhas mantém uma relação com o Pato Donadl? possivelmente. Zé Carioca e Nestor talvez sejam companheiros. Margarida e Minnie um casal lesbiano.
 É o admirável mundo guei. E quem levantar a voz contra isso é homofóbico. Um canalha da pior espécie. Porque hoje em dia não é insultuoso ser-se chamado de ladrão, sodomita, chulo, gatuno, patife. Grave, grave, é ser-se rotulado de homofóbico, xenófobo ou racista. Tudo menos isso.